Quem sou eu Artigos Fotos com o deputado Deu na Imprensa Notícias Fale com o Junji Fale com o Junji
   
   
   
 
E-mail:
 
 
 

Principais Trabalhos

Saneamento Básico - A modernização da estrutura operacional do Semae – Serviço Municipal de Águas e Esgotos, com a inauguração de novas estações de tratamento de água e esgoto, além da reforma das instalações da Rua Otto Unger e de obras complementares, com investimentos superiores a R$ 100 milhões, permitiram expressiva evolução no saneamento básico. As ações tinham como foco viabilizar ações preventivas na saúde pública e contribuir com a melhoria da qualidade do meio ambiente.

As obras reduziram significativamente a dependência que Mogi tem da Sabesp para propiciar o abastecimento. Com o completo funcionamento da nova estação de tratamento de água, em poucos anos, a Cidade precisará comprar apenas 10% do volume necessário para atender os mogianos.

Já o novo complexo de tratamento de esgotos elevou de forma substancial o percentual de detritos recolhidos e tratados. Saindo de 0,5%, em 2001, a perspectiva é eliminar, nos próximos anos, mais de 80% da carga de resíduos domiciliares in natura despejados nos cursos d’água.

Meio Ambiente - Além da evolução extraordinária no tratamento de esgotos, detalhada no item Saneamento Básico, destaca-se a desativação do Lixão da Volta Fria e recuperação da área, degradada ao longo de décadas de despejo irregular de lixo domiciliar às margens do Tietê.

Para reduzir a quantidade de lixo descartada em aterro sanitário, a Prefeitura lançou a Coleta Seletiva Domiciliar e implantou o Centro de Triagem, na Vila São Francisco, que servirão como estruturas de apoio ao funcionamento da projetada Usina de Compostagem e, posteriormente, da Usina de Incineração (Verde), sepultando, de vez, o modelo arcaico de enterrar lixo.

Também merecem registro a Escola Ambiental – dirigida aos profissionais de Ensino e uma das únicas existentes no País, com repercussão internacional – e a recuperação da Ilha Marabá (porção de Mata Atlântica incrustada no Bairro do Mogilar), com posterior transformação em núcleo de educação ambiental.

Segurança - Embora seja atribuição dos governos federal e estadual, a Prefeitura de Mogi desenvolveu um grande número de projetos para auxiliar o trabalho das Polícias. Numa iniciativa inédita na história da Cidade, a gestão Junji Abe implantou a Ciemp – Central Integrada de Emergências Públicas, com 34 câmeras de monitoramento (amplitude de 360 graus) e outras mais de 60 fixas em escolas e unidades de saúde. Inovou também com a criação da Guarda Municipal, desarmada, incluindo guarnição motorizada (viaturas e motos).

Paralelamente, uma série de investimentos viabilizou a maciça ampliação da iluminação pública, principalmente nos locais mais distantes do Centro. Além disso, houve expansão da política de subsídios e incentivos, com gratificação salarial para todo o efetivo das Polícias Militar (inclusive Bombeiros e Rodoviária) e Civil, além do pagamento de aluguel de imóveis, contas telefônicas, combustível, reformas prediais e manutenção de viaturas dos órgãos de segurança. Vale evidenciar ainda a implantação, em parceria com o Estado, das novas instalações da Delegacia da Mulher e da sede da Delegacia do Idoso.

Obras - Mogi foi transformada num grande canteiro de obras que melhoraram muito a qualidade de vida da população. A conclusão do trecho Leste da Via Perimetral – implantação do viaduto de Braz Cubas e da ligação entre a Avenida Japão e a Mogi-Bertioga – possibilitou a conexão racional entre as Rodovias Mogi-Dutra e Mogi-Bertioga. Assim, a Perimetral passou a cumprir sua função primordial de aliviar o tráfego na área central da Cidade.

De 2001 a 2008, mais de 500 vias urbanas e rurais foram pavimentadas ou recapeadas. Todos os principais acessos a Mogi foram duplicados e reurbanizados, assim como importantes avenidas do porte da Francisco Rodrigues Filho e Miguel Gemma.

Ao mesmo tempo, a parceria e o bom relacionamento com o Estado permitiram a realização de grandes obras, como a duplicação da Mogi-Dutra e da Mogi-Bertioga (trecho até a Estrada do Nagao).

Vale evidenciar também a abertura da Avenida Cívica que proporcionou à Cidade o palco apropriado para festejos carnavalescos, desfiles oficiais e outras manifestações sócio-culturais e educativas. A obra enobreceu a região que se consolidou como espaço multicutural após a remodelação da área do CIP (Centro de Iniciação Profissional), outrora um “cemitério de veículos”.

Também merece destaque a elaboração do diagnóstico de macrodrenagem da Cidade, que pautou a realização de grandes obras de combate às enchentes, como a canalização do Córrego do Gregório, do Ribeirão Ipiranga e outras, como o desassoreamento do Rio Tietê, em parceria com o Estado. As ações praticamente acabaram com as inundações do Centro e pautaram os trabalhos futuros na prevenção de alagamentos, como as intervenções nos Córregos Lavapés e dos Canudos.

Planejamento e Urbanismo - Com a missão de interagir com todas as demais Secretarias, este setor respondeu à incumbência de dar “uma nova cara” à Cidade, perseguindo os objetivos de humanizar a paisagem urbana, com funcionalidade, beleza e conforto aos munícipes.

O padrão arquitetônico dos prédios escolares, a estética dos espaços públicos, o perfil colorido das praças e canteiros floridos, todas as estruturas físicas da rede pública que sofreram intervenções têm a marca do planejamento.

Mais que isso. A atuação dos técnicos garantiu a imprescindível revisão e transformação, em lei, do Plano Diretor de Mogi das Cruzes – instrumento que norteia as ações do Executivo municipal pelos próximos 15 anos, no mínimo. O processo foi marcado pela maciça participação popular, por meio das entidades civis organizadas.

Anterior Próxima


VEJA FOTOS DE FAMÍLIA (CLIQUE AQUI)
   



   
  1940  
Nasce, no Distritito de Biritiba Ussu, Junji Abe, filho de Fumica Abe e Izumi Abe.
1966
Torna-se presidente da Associação de Biritiba e Capela.
 
1972
Inicia a vida pública, eleito vereador com a maior votação da história da cidade.
 
1980
É eleito presidente do Sindicato Rural de Mogi das Cruzes, permanecendo no posto até 2000.
1991
Vence eleição para Deputado Estadual e repete a vitória em 1994 e 1998.
 
1991
Presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária da Assembléia Legislativa, ocupando a função até 2001.
 
2000
Eleito Prefeito da cidade de Mogi das Cruzes.
 
2001
Ocupa a presidência da AMAT - Associação dos Municípios do Alto-Tietê por 2 anos.
 
2001
Recebe o título de "Prefeito Empreendedor" concedido pelo Sebrae. Voltaria a ganhar
o título mais quatro vezes.
 
2002
Passa a coordenar o Grupo de Trabalho de Prevenção à Violência do Fórum Metropoli-tano de Segurança Pública.
 
2004
É reeleito prefeito de Mogi das Cruzes ainda no primeiro turno.
 
2004
Ocupa o cargo de presidente da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, permanecendo até 2005.
 
2005
Novamente à frente da AMAT, preside por mais 2 anos.
 
2006
Preside por mais 2 anos a Bacia Hidrográfica do Alto Tietê.
 
2008
Deixa a Prefeitura de Mogi das Cruzes com 86% de aprovação popular.
 
2010
É eleito Deputado Federal pelo estado de São Paulo com 113.156 votos.
 
 
JUNJI ABE  |  NOTÍCIAS  |  ARTIGOS  |  IMPRENSA  |  GALERIA  |  Todos os direitos reservados © Junji Abe 2011  | Login


Av. Fausta Duarte de Araújo, nº 145- CEP: 08730-130 - Jd. Santista- Mogi das Cruzes- SP   |   Telefone: (11) 4721-2001   |   Email: contato@junjiabe.com