Quem sou eu Artigos Fotos com o deputado Deu na Imprensa Notícias Fale com o Junji Fale com o Junji
   
   
   
 
E-mail:
 
 
 
 
Em nome de Zilda Arns...
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010 Enviar por e-mail Versão para Impressão acessos
1651
 
O ser humano, sbio e criativo, vem construindo, desde os primrdios, ditados e provrbios que se enrazam com tamanha fora na mente a ponto de muitos se tornarem verdadeiras luzes. Iluminam nossos caminhos na escurido das adversidades da vida. Inclusive, em situaes dramticas.

Enquanto as notcias no varriam o Planeta com a velocidade e preciso dos dias atuais, o povo amparado no sentimento de que o tempo o melhor remdio ia reconstruindo sua caminhada, abalada ou fragmentada diante de trgicos acontecimentos.

As tragdias advindas da natureza sempre existiram. Desde que o mundo mundo. Aqui, fao questo de ressaltar que muitos acontecimentos graves no eram o que se pode classificar como vingana da natureza contra o ser humano. Mas sim, adventos da prpria natureza.

No cenrio contemporneo, as catstrofes decorrentes de fenmenos naturais aumentaram geometricamente. Tal fato, conjugado ao avano tecnolgico e globalizado dos meios de comunicao, traz ao nosso conhecimento, em tempo real, todos os flagelos da Terra. Sofremos, com o corao sangrando de dor e a alma inconsolvel, pela morte de pessoas, mesmo que distantes do nosso relacionamento cotidiano.

Em funo das sucessivas tragdias, o tempo no tem sido o melhor remdio e nem mesmo o blsamo para aliviar as feridas da alma. No h trgua. As calamidades neutralizam as tentativas de recompor nosso equilbrio espiritual e agravam nossa sensao de impotncia para ajudar, como gostaramos, sobreviventes e familiares de vtimas fatais das contnuas catstrofes.
So irmos e irms martirizados no mundo inteiro. Restaram mortos, feridos e desabrigados de cidades brasileiras arrasadas por inundaes em So Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina; e agora pelo terremoto no Haiti.

Mal samos da tortura do fenmeno tsunami que castigou a regio da sia, assistimos, mudos de dor, destruio causada pelo terremoto no Haiti. Entre tantas vidas dizimadas, sofremos a perda de Zilda Arns Neumann, um expoente mundial de bondade e dedicao ao prximo.

Em nome dessa mulher destemida, incansvel e livre de fronteiras na misso de difundir amor , expresso minha solidariedade a todos os flagelados, incluindo seus familiares e amigos, das catstrofes que se abateram sobre o planeta. Convidando a todos para que se unam em orao, rogo a Deus que d fora aos sobreviventes e deposite um pouco de alvio nesses castigados coraes. Peo ainda que aqueles em condies de auxiliar, com doaes e servios, mantenham-se firmes no exerccio da solidariedade.
Enviar por e-mail Versão para Impressão   Ler mais artigos
 
   



     
 
11/04/2014
Ateno aos obesos
 
08/04/2010
Imprensa amordaada, fim da democracia
 
09/07/2010
De corpo e alma
 
 
 
 
JUNJI ABE  |  NOTÍCIAS  |  ARTIGOS  |  IMPRENSA  |  GALERIA  |  Todos os direitos reservados © Junji Abe 2011  | Login


Correspondência: Av. Fausta Duarte de Araújo, nº 145 - CEP: 08730-130 - Jd. Santista - Mogi das Cruzes - SP   |   Telefone: (11) 4721-2001   |   E-mail: contato@junjiabe.com