Quem sou eu Artigos Fotos com o deputado Deu na Imprensa Notícias Fale com o Junji Fale com o Junji
   
   
   
 
E-mail:
 
 
 
 
Violncia contra Mulher
Sexta-feira, 27 de Novembro de 2020 Enviar por e-mail Versão para Impressão acessos
44
 
A 4 edio do Anurio Brasileiro de Segurana Pblica mostra, mais uma vez, que a violncia de gnero no tem freio. Os homicdios dolosos de mulheres e os feminicdios tiveram crescimento de 2% no 1 semestre 2020 em comparao com o mesmo perodo do ano passado. Em 2019, ocorreram 66.123 estupros, incluindo pessoas vulnerveis, sendo 57,9% das vtimas com idade mxima de 13 anos. Em 84,1%, os crimes foram praticados por conhecidos das vtimas, como familiares ou pessoas de confiana. As estatsticas mostram que, impiedosamente, entre as vtimas, 11,2% so bebs de 0 a 4 anos. Enfim, a cada 8 minutos, acontece um estupro no Brasil.

No caso de leso corporal, em decorrncia de violncia domstica, houve aumento de 5,2% - uma a cada 2 minutos, totalizando 266.310 casos. Autoridades de segurana pblica destacam que os nmeros da violncia contra as mulheres so bem maiores que os registros oficiais. So as subnotificaes. Vtimas no procuram a Polcia por medo, sentimento de culpa e vergonha ou at por desestimulo por parte das autoridades. Temos de criar condies favorveis para que vtimas ou seus familiares denunciem a violncia, com a garantia de segurana total aos seus direitos e vida. O silnco s beneficia os criminosos. As organizaes em defesa de mulheres, crianas, adolescentes e pessoas vulnerveis contra esses crimes merecem total respeito, reconhecimento e gratido! Desenvolvem trabalhos de acolhimento, proteo e acompanhamento das vtimas, inclusive no fortalecimento das denncias s autoridades.

Da mesma forma, merece acentuado destaque a Lei Federal Maria da Penha (n 11.340, de 07 de agosto de 2006) que, dentre alguns objetivos cria mecanismos para coibir a violncia domstica e familiar contra a mulher, eliminao de todas as formas de discriminao contra as mulheres, preveno, punio e erradicao da violncia contra a mulher. A carioca Maria da Penha Maia foi agredida pelo marido durante seis anos, at se tornar paraplgica, depois de sofrer atentado com arma de fogo, em 1983.

Com urgncia urgentssima, combater a violncia contra a mulher precisa ser no s uma prioridade governamental, como tambm entrar no rol de aes reconhecidas pelas polcias como parte integrante de suas misses. No podem continuar achando que este assunto um tema privado ou que pouco podem fazer. Cabe aos policiais, entrarem de sola para reduzir esses crimes hediondos.

Em Mogi das Cruzes, a gesto do prefeito Marcus Melo e do vice Juliano Abe criou a Patrulha Maria da Penha, que vem desempenhando um servio exemplar na proteo de mulheres vtimas de violncia. So guardas municipais treinados para essa funo, que acompanham 560 vtimas com medidas judiciais protetivas e j prenderam 65 agressores em flagrante delito desde 2018, quando o grupamento especializado foi criado.

Como cidado, av e pai de famlia, fao um apelo para todos apoiarmos integralmente as entidades que lutam contra todo tipo de violncia. Em especial, aquela praticada contra as mulheres, crianas, adolescentes e pessoas vulnerveis. Sejamos movidos por total indignao e repulsa!

Junji Abe, produtor e lder rural, ex-prefeito de Mogi das Cruzes, na Grande So Paulo
Enviar por e-mail Versão para Impressão   Ler mais artigos
 
   



     
 
11/04/2014
Ateno aos obesos
 
08/04/2010
Imprensa amordaada, fim da democracia
 
09/07/2010
De corpo e alma
 
 
 
 
JUNJI ABE  |  NOTÍCIAS  |  ARTIGOS  |  IMPRENSA  |  GALERIA  |  Todos os direitos reservados © Junji Abe 2011  | Login


Correspondência: Av. Fausta Duarte de Araújo, nº 145 - CEP: 08730-130 - Jd. Santista - Mogi das Cruzes - SP   |   Telefone: (11) 4721-2001   |   E-mail: contato@junjiabe.com