Quem sou eu Artigos Fotos com o deputado Deu na Imprensa Notícias Fale com o Junji Fale com o Junji
   
   
   
 
E-mail:
 
 
 
 
Agricultura exige respeito do Governo
Ter�a-feira, 09 de Fevereiro de 2010 Enviar por e-mail Versão para Impressão acessos
1467
 
Moro num pas tropical, abenoado por Deus. E bonito por natureza, mas que beleza.... Toda vez que ouo esta msica de Jorge Benjor mais me conveno que Deus brasileiro, sim senhor. Mas, uma pena que muitas autoridades, ditas maiores ou da cpula, no foram nem so suficientemente sensveis e responsveis pelo nosso maior tesouro de sustentabilidade econmica, financeira e social. Falo, sem paixo nem exagero, da AGRICULTURA e AGRONEGCIOS.

O Pas tem indiscutvel vocao agrcola alicerada na dimenso territorial, clima, fonte hdrica e gente capaz nos campos cientfico, agronmico, tecnolgico e mercadolgico. Contudo, apesar dos avanos conquistados antes do longo perodo inflacionrio (1980 a 1994) e aps a estabilidade da moeda, a evoluo ainda tmida e lenta. Em especial, para a dita agricultura de mercado interno arroz, feijo, milho, horticultura, tubrculos (batata e mandioca, por exemplo) e frutas.

Cabe lembrar que a agricultura de exportao (produtos que fazem parte das commodities) vem se expandindo aps a estabilizao da moeda proporcionada pelo Plano Real. Porm, nica e exclusivamente por conta da tenacidade, dinamismo e competncia da iniciativa privada. O Governo, como sempre, deixa muito a desejar.

A comprovao das falhas, omisses e erros da administrao publica latente ao longo da histria. Vejamos alguns casos recentes. Primeiro, a falta de vacinao do gado contra febre aftosa, em 2003 e 2004, provocou a resciso serial de contratos firmados com dezenas de pases para a exportao de carne. No bastasse, ocorrem as sistemticas invases e destruio de terras produtivas, centros de ensaios e de melhoramentos genticos, devastao absurda de laranjais e outros descalabros cometidos por integrantes do MST, com total conivncia do Governo Federal. Agora, veio o apago porturio trazendo prejuzos de U$$ 1 bilho reboque da falta de logstica para escoar 3 milhes de toneladas de soja produzidas nas regies Centro-Oeste e Nordeste do Brasil.

No que tange aos produtos de mercado interno, a cargo dos micro, pequenos e mdios produtores, a situao , no mnimo, lastimvel. Diz a propaganda governamental que a agricultura familiar tem recebido plena ajuda. Mentira. Eis a verdade nua e crua: no h assistncia tcnica, nenhuma garantia mercadolgica e muito menos apoio na rea to importante do associativismo e cooperativismo esfacelados aps a liquidao das Cooperativas Agrcolas Cotia e Sul Brasil, entre outras.

Para agravar o rol de descasos, est o desmantelamento da Ceagesp, repassada Unio em 1995 para amortizar a dvida estadual. Neste incio de Vero, o maior entreposto da Amrica Latina sofreu trs inundaes inviabilizando a comercializao de produtos altamente perecveis (veja a foto). Resumindo, o setor de verduras e legumes est totalmente rfo.

A agricultura e o agronegcio tm sido a salvao nacional nos piores momentos de desequilbrio econmico-financeiro. Alis, a safra recorde de 65,1 milhes de toneladas de soja em 2009 foi um dos fatores que mais contribuiu para o supervit de U$$ 24 bilhes na balana comercial brasileira, suavizando os reflexos da crise mundial sobre o Pas.

Diante de tantas necessidades do setor agrcola, fundamental que as autoridades constitudas se sensibilizem para o justo clamor dos produtores. Em primeiro lugar, corrijam a miopia que lhes restringe a viso ao meio urbano mesmo assim, mal e porcamente. Vale, aqui, rememorar uma lio quase to primitiva quanto a descoberta do fogo: quando a agricultura vai bem, a cidade vai bem.

H tempos, est provado que a economia se desenvolve de modo saudvel e permanente quando a nao tem uma agricultura forte e estvel. Por isso, at os pases sem vocao nem condies adequadas agricultura, tudo fazem em polticas pblicas voltadas ao crescimento do setor.

Ora, no Brasil onde o desenvolvimento sustentado da agricultura uma realidade to cristalina, no se pode admitir, em hiptese alguma, que hericos micro e pequenos produtores sejam obrigados a paralisar suas atividades por conta da macia e injusta concorrncia com produtos de outros pases onde o setor agrcola recebe a ateno que merece.

Clamor maior dirijo classe poltica, visto que, por instinto, o animal poltico pende para o lado em que se encontra a maior densidade eleitoral e acaba, desgraadamente, esquecendo-se da galinha de ovos de ouro que a agricultura. ela que movimenta todas as indstrias e, consequentemente, faz o comrcio e os prestadores de servio diversificarem e expandirem suas atividades.
Enviar por e-mail Versão para Impressão   Ler mais artigos
 
   



     
 
11/04/2014
Ateno aos obesos
 
08/04/2010
Imprensa amordaada, fim da democracia
 
09/07/2010
De corpo e alma
 
 
 
 
JUNJI ABE  |  NOTÍCIAS  |  ARTIGOS  |  IMPRENSA  |  GALERIA  |  Todos os direitos reservados © Junji Abe 2011  | Login


Correspondência: Av. Fausta Duarte de Araújo, nº 145 - CEP: 08730-130 - Jd. Santista - Mogi das Cruzes - SP   |   Telefone: (11) 4721-2001   |   E-mail: contato@junjiabe.com